top of page
FUNDOO.png

LINHA DE PESQUISA
CIÊNCIA, NEGACIONISMO E 
TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO

CIENCIA_ww.png

As mídias digitais trazem inúmeras possibilidades para a comunicação do conhecimento científico, mas também promovem ataques e campanhas de desinformação que confundem a população sobre o que tem ou não fundamento em fatos e pesquisas legítimas.  Organizações com diferentes interesses políticos e econômicos influenciam a produção de comunicação sobre ciência e mobilizam a opinião pública, agindo como “mercadores da dúvida” a favor de explicações sem base em evidências. Diante de uma demanda crescente da sociedade por informações, a midiatização de controvérsias científicas é um ponto chave na deslegitimação de universidades, centros de pesquisa e outras instituições produtoras de conhecimento.

 

Teorias da conspiração sempre existiram, e estão associadas a explicações alternativas de fenômenos complexos e eventos históricos, que são reduzidos a planos secretamente arquitetados por “grupos poderosos” e “inimigos da sociedade”. Nesse sentido, as conspirações ocupam um lugar central no negacionismo, que envolve diversas práticas de negação sistemática do conhecimento produzido e legitimado por instituições como a ciência. Grupos negacionistas frequentemente reivindicam um “outro tipo de ciência”, ao invés de uma postura abertamente anti-científica. As campanhas conspiratórias e negacionistas atacam a credibilidade de pesquisadores, especialistas e divulgadores científicos, gerando desconfiança em parte da população.

 

A partir de pesquisas sobre a crise sanitária da covid-19, as mudanças climáticas, a teoria da conspiração do globalismo e outras controvérsias, nossos estudos analisam estratégias computacionais e comunicacionais nas diferentes plataformas digitais em rede. Buscamos mapear também as recomendações da comunidade científica internacional para desenvolvimento de políticas públicas nesse campo e para tomada de decisão baseada em evidências.

PROJETOS NESSA LINHA DE PESQUISA

Identificamos as estratégias e as narrativas usadas na amplificação online de teorias ‘antiglobalistas’. Neste projeto, pesquisamos como esse movimento conservador associa aspectos políticos e econômicos da globalização a teorias conspiratórias sobre uma guerra espiritual contra as tradições ocidentais.

Análise multiplataforma de campanhas anti-globalistas no Brasil 

Diante da ‘infodemia’ da Covid-19, a divulgação científica se tornou ainda mais importante e desafiadora. Por isso mapeamos a literatura sobre estratégias de comunicação em crises sanitárias pelo mundo e monitoramos a circulação de conteúdos desinformativos sobre saúde na internet brasileira.

Desinformação científica e estratégias de comunicação em situações de crise sanitária

Produção científica e negacionismo: disputas sobre o lugar social da ciência

Este projeto busca compreender tendências e lacunas nas pesquisas sobre o papel da ciência na sociedade, incluindo o impacto das inovações tecnológicas na produção e distribuição de conhecimento, assim como a evolução das formas organizadas de negacionismo e da descredibilização do conhecimento científico.

bottom of page