top of page
fundo verde.png

LINHA DE PESQUISA
EXTREMA-DIREITA,
POLÍTICA E DESINFORMAÇÃO

POLITICA_b.png

Campanhas orquestradas de desinformação e propaganda são frequentemente utilizadas pela extrema-direita para polarizar os debates online, radicalizar a percepção pública de temas sensíveis e criar pânico moral. Desinformação abarca informações falsas, rumores, informações com enquadramento sensacionalista e/ou distorcido e teorias da conspiração que possuem o intuito de influenciar negativamente a opinião pública. Portanto, compreender essas estratégias requer o conhecimento sobre o funcionamento do ecossistema de mídia por trás da disseminação de conteúdo nocivo, composto por meios de comunicação de grande porte, mídia alternativa, mídia hiper partidária, portais de junk news, anúncios online, plataformas de mídia social e chat apps.

 

Utilizando plataformas online que a sociedade não consegue auditar, diferentes campanhas usufruem de novas tecnologias para impulsionar narrativas e influenciar a opinião pública, a ação coletiva e as políticas governamentais. Dessa forma, as características e particularidades de cada plataforma também são fatores relevantes para compreender os objetivos políticos, sociais e econômicos dessas operações de influência. Nas diferentes mídias sociais, trolls, bots, perfis falsos, usuários anônimos, influenciadores e políticos se destacam na produção e compartilhamento de informações tendenciosas que beneficiam os interesses financeiros e políticos da extrema-direita brasileira.

Nessa linha de pesquisa realizamos análises multiplataforma sobre estratégias de comunicação e desinformação empregadas pela extrema-direita em contextos como campanhas eleitorais, crises políticas, ataques às instituições democráticas e tentativas de deslegitimação da mídia tradicional. Também direcionamos nossa atenção para o ativismo conservador evangélico nas redes, que reverbera pautas da extrema-direita, narrativas falsas e discurso de ódio baseados na instrumentalização de valores cristãos e na promoção do pânico moral. O NetLab tem uma agenda para o diagnóstico desse fenômeno informacional e suas consequências sociais e políticas no Brasil, visto que um ambiente de informação problemático pode ameaçar a segurança pública, fraturar a coesão social, reduzir a confiança nas instituições e ameaçar o Estado Democrático de Direito.

PROJETOS NESSA LINHA DE PESQUISA

Na disputa pelo apoio político de grupos religiosos, grupos fundamentalistas utilizam estratégias de pânico moral em pautas como combate à “ideologia de gênero” e defesa da “família tradicional brasileira”. Neste projeto, investigamos os principais atores e fontes da desinformação de viés religioso na internet brasileira.

Mídia evangélica no ecossistema digital: o uso da religião na desinformação multiplataforma

Ataque às instituições democráticas: campanhas online contra a integridade eleitoral

Nos últimos anos, campanhas de desinformação dedicadas a minar a credibilidade das instituições responsáveis pela manutenção do processo democrático se intensificaram no Brasil. Por meio de uma análise multiplataforma, neste projeto pesquisamos estratégias e atores envolvidos em ameaças à integridade de eleições brasileiras.

Desinformação e polarização política na internet: a campanha permanente da extrema-direita no Brasil

O crescimento da extrema-direita no mundo agravou a polarização política e acompanhou a popularização de campanhas coordenadas de desinformação e discursos de ódio online. Neste projeto, analisamos as especificidades do contexto brasileiro e as diferentes técnicas, estratégias, atores e articulações políticas e econômicas deste campo.

Governança, moderação de conteúdo e participação cidadã

A popularização do acesso à internet ampliou as possibilidades de participação social em decisões políticas, mas os mecanismos online não necessariamente garantem mais democracia ou mais proteção contra a violação de direitos. Investigamos os limites e contradições de ferramentas digitais na mediação entre usuários individuais e a promoção coletiva da cidadania.

bottom of page