top of page

We love to hate George Soros: A cross-platform analysis of the Globalism conspiracy theory campaign



A proliferação de teorias da conspiração em torno de George Soros e a “invasão globalista” concentrou-se principalmente na Europa Oriental, Rússia e Estados Unidos. No entanto, desde a vitória presidencial de Jair Bolsonaro no Brasil, Soros se tornou alvo da extrema-direita no país. No aniversário de 90 anos de Soros, em agosto de 2020, o grupo de direita 'Movimento Brasil Conservador – MBC' lançou uma campanha chamada 'Dia Internacional Contra George Soros', com o objetivo de atacar a reputação do bilionário.


O objetivo deste artigo é investigar como essa campanha funcionou em plataformas online como uma estratégia para popularizar a teoria da conspiração do Globalismo no maior país da América Latina. Nosso objetivo é (1) mapear a dinâmica da disseminação de desinformação em aplicativos de bate-papo usando análise de hiperlink; e (2) interpretar narrativas conspiratórias sobre George Soros compartilhadas em aplicativos de bate-papo durante o mês de seu aniversário de 90 anos. Coletamos mensagens mencionando a campanha anti-Soros em grupos e canais públicos de WhatsApp e Telegram para extração de hiperlinks e domínios.


Esses sites foram categorizados manualmente em um esforço para analisar quais teorias da conspiração sobre George Soros estão sendo divulgadas em aplicativos de bate-papo no Brasil. Nossos resultados sugerem uma crescente disseminação multiplataforma de narrativas que atacam Soros. Este estudo de caso ilustra como a ascensão de uma direita política em rede transnacional foi acompanhada por uma infraestrutura de comunicação digital alternativa emergente através da qual circulam as teorias da conspiração.


 

Como citar: Santini, R. M., Salles, D., & Barros, C. E. (2022). We love to hate George Soros: A cross-platform analysis of the Globalism conspiracy theory campaign in Brazil. Convergence, 28(4), 983–1006. https://doi.org/10.1177/13548565221085833


Comentários


bottom of page